Analise
Vele a pena? Review da trilogia de filmes de Gundam 0079
quinta-feira, 11 de junho de 2020 às 22:31

Próximos Episódios
Mobile Suit Gundam: Hathaway's Flash (I)
Filme

23 de Julho de 2020

Gundam Build Divers Re:RISE
ONA

10 de Outubro de 2019

Gundam G no Reconguista II: Bellri, Kougeki!
Filme

21 de Fevereiro de 2020

Parceiros
Sobre o Autor: EXIA

Fã desde 2011 Conheçeu Gundam atraves de revistas especializadas em animes, sendo o primeiro Gundam que assistiria seria Gundam SEED.



E aí pessoal, aqui e o Exia! Hoje trouxe pra vocês uma análise um pouco diferente, abordando a trilogia de filmes de Mobile Suit Gundam (0079), aproveitando que os assisti recentemente e dizer, afinal de contas: vale a pena assistir?

Antes de começarmos, vamos conhecer um pouco mais sobre os filmes?

Acima, vemos como a equipe junta pronta para a produção deste grande clássico.

Dispensando as apresentações formais, pois, dificilmente alguém não vai conhecer, a série Mobile Suit Gundam terminou de ser exibida no Japão, em janeiro de 1980, mas, somente após ter sido reprisada em algumas emissoras, é que acabou caindo na graça dos espectadores, dando assim a oportunidade para Tomino fazer seu relançamento nos cinemas, em um total de três filmes. Estes intitulados, Mobile Suit Gundam I, Mobile Suit Gundam II: Soldiers of Sorrow, e Mobile Suit Gundam III: Encounters in Space, são a mesma série de TV, mas compilada e reeditada nesta trilogia.

Curiosidades

Entre algumas das curiosidades sobre este filme, temos o fato de que o renomado Yoshikazu Yasuhiko, animador da série de TV, não pode participar da produção dos últimos episódios do anime, pois acabou ficando doente, e, por causa disso, teoricamente, veio com tudo nos filmes, trazendo toda a sua experiência. Uma das modificações que, na minha opinião, ficou muito boa, foi terem substituído o G-Armor, pilotado pela nossa linda Sayla Mass, por um Core Fighter mais robusto, o que caiu muito bem, já que aquele G-Armor era feio DEMAIS! Para finalizar, mas não menos importante, houve também a troca do Mobile Suit pilotado por Hayato, que durante a série de TV ficava sempre com o Guntank, e nos filmes ele recebeu um Guncannon. Podem ler mais sobre Yoshikazu Yasuhiko, falando sobre seu trabalho na série, e nestes filmes, na tradução para pt-br que trouxemos da entrevista disponibilizada pelo site Wave Motion Cannon.

Mas vamos ao que interessa, não é?

Animação

Alguns acabam se decepcionando quando acham que a qualidade de animação seria melhorada nesses filmes. A animação se manteve exatamente como na série de TV, tendo leves mudanças, sendo as mais visíveis apenas no terceiro e último filme, onde algumas cenas de ação foram levemente melhoradas. Sendo assim, quem ainda não assistiu, e estava na dúvida se as cenas poderiam ter sido refeitas, assim como aconteceu nos filmes de Zeta Gundam, sinto muito por dar más notícias.

Musicas

Assim como a animação se manteve, também foi assim com as músicas, mas destaco as músicas de encerramento dos filmes, pois ficaram sensacionais, finalizando-os com ótimo tom. Para além disso, as trilhas que compõem as cenas de combate também são boas de se destacar, pois como sempre, as OST’s de Gundam 0079 são incríveis.

Cortes nos filmes

Vamos falar do que mais me incomodou, e que acaba por ser um ponto muito importante nestes filmes, os cortes, que, pra quem não sabe, são a forma como são editados os episódios para que tudo se encaixe muito bem, ou, pelo menos, da melhor forma possível. Começando com os cortes, destaco que todos os pontos chaves, bem como as batalhas clássicas foram mantidas em todos os filmes, com a exceção da morte do comandante Maqu’ve, que foi cortada no último filme, tendo sua participação muito reduzida. Tudo parecia correr de forma adequada, pois tanto o primeiro como o segundo filme, se saíram muito bem nestas edições, estando muito bem ajustadas, não deixando passar nada, como citei. O verdadeiro problema está no terceiro filme, onde as coisas começaram a desandar. Encounters in Space recebeu cortes muito estranhos e bizarros, e, como consequência, o último filme, que deveria ser épico, ficou muito esquisito e desconexo, onde algumas cenas são cortadas de forma muito abrupta, o que acabou prejudicando um pouco o “hype” das batalhas. O ponto curioso nisso tudo, é que o famoso Yoshikazu Yasuhiko, que não estava presente no final da série de TV, esteve sim presente nesta última parte da trilogia, mas nem isto a salvou, e este se tornou o pior filme dos três.

Coitado do M’quve, nem uma morte digna teve nesses filmes...

Veredicto

Como minha conclusão, devo dizer que, para filmes que basicamente tornaram Gundam o sucesso que é hoje, fiquei com uma leve decepção, principalmente no terceiro filme. Para algumas pessoas que assistiram a série clássica, com certeza, os tais cortes de alguns momentos devem ter sido também desconfortáveis de acompanhar, como foram para mim. Então, minhas recomendações são as seguintes: se você já assistiu a série clássica, não faça muita questão de ver os filmes, pelos motivos já citados; se você ainda não teve a chance de ver a série clássica, e não tem tempo para ver os 43 episódios, pode assistir, mas tendo ciência de que eles não conseguem transmitir toda a emoção que a série clássica passa; e se você ainda não viu 0079, mas tem tempo (e disposição) para ver os episódios, recomendo fortemente que assista a série, por este último ponto que citei.

Pontos Positivos

• Cenas clássicas e os melhores combates mantidos;

• Boa trilha sonora;

• Aceitável para pessoas que não tem tempo para assistir a série clássica inteira;

• G-Armor retirado (AMÉM!).

Pontos Negativos

• Cortes estranhos no terceiro filme, prejudicando a história;

• Morte do Maqu’ve retirada;

• Não recomendado para quem conhece a série de TV.

E é isso pessoal! Deixem as suas opiniões nos comentários, se você concorda comigo ou não, e até a próxima.

Redes Sociais