entrevistas
Bate-papo com Yoshiyuki Tomino e Mamoru Nagano: Parte 2
quarta-feira, 29 de setembro de 2021 às 10:55

Próximos Episódios
Mobile Suit Gundam: Hathaway's Flash (I)
Filme

7 de Maio de 2021

Gundam Build Divers Re:RISE
ONA

10 de Outubro de 2019

Gundam G no Reconguista II: Bellri, Kougeki!
Filme

21 de Fevereiro de 2020

Parceiros
Sobre o Autor: EXIA

Fã desde 2011 Conheçeu Gundam atraves de revistas especializadas em animes, sendo o primeiro Gundam que assistiria seria Gundam SEED.



E ai pessoal, tudo bom com vocês? Vamos trazer hoje a segunda parte da entrevista sobre Tomino e suas obras, então se você ainda não viu a parte 1, recomendo que dê uma olhada e depois volte aqui ok?

Lembrando que esta e uma adaptação da entrevista que foi publicada no blog Cries in newtype, o link deste blog maravilhoso cheio de conteúdo legal estará ao final desta postagem.

ENTREVISTADOR: - Continuando com a conversa, Nagano, quando você começou, haviam vários astros na indústria de anime, como você. Porém, depois de muitos anos, parece que não temos mais astros emergentes. 

Tomino: Eu mal folheio revistas de anime como Newtype e Animage, então eu não estou atualizado, mas tem que haver alguns, pelo menos. 

Nagano: Se existem astros, muito provavelmente eles virão da indústria de jogos ou algo completamente não relacionado a anime. Akira Yasuda que está trabalhando em Turn A Gundam trabalhou em jogos antes, certo? Sua experiência era desenhar para jogos como Street Fighter II, mas embora existam muitas crianças que amam jogos e foram influenciadas por ele, elas não conseguem dizer quem fez essa obra. Esse é o ponto fraco dos jogos. O motivo sendo que a animação em jogos é apresentada no estilo de Hollywood. Ao invés de reunir todos para a produção e separar quando acabar, eles trabalham e são creditados como uma empresa. 

Tomino: É tudo baseado em financiamento. A burocracia dita as empresas de jogos. 

ENTREVISTADOR: - Após Zeta Gundam, Nagano lentamente deixou de trabalhar para a Sunrise, correto? 

Nagano: Após L-Gaim, Tomino me pediu para desenhar em um estilo específico. Eu ofereci muitas opções, e os designs em si não receberam nenhuma crítica ou feedback, mas… 

ENTREVISTADOR: - Mas esses designs não foram usados. 

Tomino: Isso foi na época que eu estava na pior fase do meu distúrbio psicossomático. Eu comecei a achar tudo inadequado e, simplesmente, fiquei na defensiva travando qualquer tipo de progresso. Estaria tudo bem se afetasse somente a mim, mas porque eu levava a Sunrise na mesma direção, acabou tudo fluindo junto. Como eu disse, eu sou escravagista, então se não fosse um plano que que eu tivesse criado, eu não escutaria, o que me levou a todos os tipos de brigas. Minha cabeça estava tão enterrada onde o sol não brilha que eu poderia até estar me chamando de “criador e artesão”. Era quando eu não estava confiante na minha habilidade que Zeta foi aprovado e eu comecei a me sentir derrotado. 

Nagano: Posso fazer uma pergunta? Você fala sobre Zeta Gundam como se fosse a única semente do seu problema - por que não o Gundam original? Por que apenas o Zeta? 

Tomino: Quando eu penso sobre como Zeta tem permanecido na esfera pública, e percebo que provavelmente não é o melhor método para que continue existindo. Eu queria uma nuance que combinasse tanto meu distúrbio psicossomático quanto a indústria de anime ao todo - mostrar a todos o que eles são de fato. Nos últimos quinze anos não parece que essa mensagem foi passada e quando algo similar acontece, eu sou lembrado de Zeta. 

Nagano: É por isso que você deveria refazer Zeta Gundam. Zeta era uma história sobre a briga interior do Char, mas atualmente parece que as crianças só estão preocupadas no quão quebrado o Psycho Gundam está em jogos. Tem uma grande diferença entre seus fãs de antigamente e de agora. É melhor reafirmar pra essas crianças do que a história de Zeta se trata (risos). 

Tomino: Sim, eu entendo o que você quer dizer. 

Nagano: Pense desta forma, mesmo que ninguém mais leia o livro Musashi original de Eiji Yoshikawa, eles podem ler a adaptação simplificada do mangá [Vagabond] de Takehiko Inoue. Esqueça do velho Zeta e faça um novo. Se você fizer isso, eu desenho uma nova versão do Nightingale para você. 

Acima nós vemos a versão desenhada por Mamoru Nagano de alguns Mobile Suits do filme de Char’s Counter Attack que não foram usados.

Tomino: Ok, isso me parece bom. Um novo Zeta é bom, mas eu não tenho muita vida em mim (risos). 

Nagano: Você vem dizendo isso nos últimos dez anos e ainda assim você fez Brain Powered e muitos outros. Você ainda tem muito tempo para criar mais. Diretores e escritores são parecidos, eles só conseguem fazer umas tantas obras e conseguem estar na atividade por uns tantos anos, mas você tem muito tempo pela frente. Isso é bem raro atualmente. 

Tomino: Eu sei que é raro, e eu deveria acreditar nas minhas próprias habilidades. As pessoas até falam coisas significativas como “Tomino é um gênio, um diamante bruto.” No entanto, eu não tenho nenhum precedente. Eu não sei como vou aguentar nos próximos anos (risos). 

Nagano: Lá vem você de novo (risos). Seu nome já é famoso o suficiente - você pode fazer um filme híbrido e tudo certo. Por híbrido eu quero dizer que Yoshikazu Yasuhiko pode desenhar alguns personagens e Akira Yasuda pode desenhar outros. Você pode supervisionar o roteiro e o storyboard e pronto, você tem um filme. 

Tomino: Você tem razão aí. 

Nagano: Você pode não ter alunos ou pupilos na Sunrise, mas eu creio que você educou muitas crianças. Definitivamente, eu sou uma dessas crianças travessas. Quando nós trabalhamos em Brain Powered, eu briguei muito, mas era uma briga típica entre pai e filho. Fique orgulhoso que você possa alcançar este nível de familiaridade com as pessoas, em que uma briga não é nada. Eu posso te chamar de merda algumas vezes, mas se alguém falar mal de você, eu fico furioso. O que eu quero dizer é que esses são os tipos de pessoas que você educou, e você pode reunir essas pessoas para ajudá-lo na sua próxima empreitada. 

Tomino: Bem lá no fundo eu sei disso, mas algumas vezes eu me esqueço que tenho meus amigos, apoiadores e pessoas como você aqui, torcendo por mim. Eu estou sempre procurando por isso. Meus colegas no estúdio sempre me perguntam como eu nunca notei que não existe nenhum criador como eu por perto. Eu fico feliz que eles dizem isso, mas eu desejo essa satisfação extrema e instantaneamente acabo voltando a procurar. 

Nagano: Isso aconteceu durante L-Gaim, não foi? Eu me lembro de trabalhar muito em L-Gaim, e mesmo assim você já estava pensando em Zeta. Tenho certeza que eu, frustrado, te chamei e disse “Estamos bem no clímax de L-Gaim, por que você está pensando no Zeta?” (risos). 

Mas então, quando Zeta e Gundam ZZ foram lançados, havia um monte de revistas que tinham entrevistas com a equipe de planejamento onde eles afirmavam “Este é o nosso Gundam.” Quando eu vi isso, surtei gritando “Que diabos vocês estão dizendo?!” Para mim, Gundam é e sempre será uma criação do diretor Tomino. Qualquer outra coisa, por mais bem feita que seja, é apenas uma imitação. Isso é apenas por princípio. Há muitos jovens por aí que pensam da mesma forma. Eles estão por aí, trabalhando em empresas diferentes com newtypes no cérebro, então não valeria a pena fazer um anúncio para entrar em contato com a Sunrise se eles estiverem interessados em trabalhar com você? Se você fizer isso, pessoas da indústria de jogos virão, e você terá reunido um grupo de animadores-chave especializados. Você pode fazer um filme com quinze animadores-chave, certo? 

Tomino:  É possível, mas cara, você fala demais! (risos). 

Nagano: Você tem que fazer isso. Fazendo isso, você pode trazer um elenco que não é empregado da Sunrise. Enquanto eles estiverem por aí, você pode bem utilizá-los. Se é o diretor Tomino, todos irão perdoá-lo, então você bem que pode fazê-lo. 

Tomino: Olha, eu não acho que posso fazer isso. Eu quero que todos gostem de mim (risos). 

Nagano: Mesmo que você seja odiado pela Sunrise, não importa, enquanto as moças gostem de você (risos). 

Redes Sociais