Analise
Vale a pena? Review do segundo filme de Gundam Reconguista in G
terça-feira, 9 de março de 2021 às 22:23

Próximos Episódios
Mobile Suit Gundam: Hathaway's Flash (I)
Filme

7 de Maio de 2021

Gundam Build Divers Re:RISE
ONA

10 de Outubro de 2019

Gundam G no Reconguista II: Bellri, Kougeki!
Filme

21 de Fevereiro de 2020

Parceiros
Sobre o Autor: EXIA

Fã desde 2011 Conheçeu Gundam atraves de revistas especializadas em animes, sendo o primeiro Gundam que assistiria seria Gundam SEED.



E aí, pessoal! Como vocês estão?

Aqui é o Exia e hoje trazemos uma pequena review do segundo filme da franquia de 5 filmes de G no Reconguista, estão prontos? Então, vamos nessa!

Gundam G no Reconguista Movie II: Bellri, Kougeki!

Sendo o segundo filme da série de cinco proposta por Yoshiyuki Tomino, “Bellri, Kougeki!”, foi lançado em fevereiro do ano passado (2020), e teve, assim como o primeiro, uma nota razoável quando comparado com o anime. Uma vez que, como já disse no review do primeiro filme, só pelo fato de termos o próprio Tomino lançando filmes de sua própria obra, já temos que ter em mente de que ele vai mexer em algo, mesmo que seja mínimo.

Poster do segundo filme da franquia

Relembrando o enredo da história:

Gundam Reconguista in G gira em torno de Bellri Zenam, um jovem cadete da guarda capital que se vê meio um turbilhão de dilemas dentro de seu mundo, forçado a escolher entre proteger a sua terra natal, lutando a favor da guarda capital, ou contra ela, com um destacamento secreto do exército Ameriano. A série se passa em um novo universo, denominado Regild Century, e, de acordo com Tomino, se passa 500 após os eventos de Turn A Gundam.

Animação

Vamos começar com os pontos nos quais vê-se pouca mudança quando fazemos a comparação Anime/Filme. A animação, em si, continua a mesma: foram feitas pequenas mudanças, como já vimos no primeiro filme; sendo, uma das mais perceptíveis, os Olhos do G-self que, mais uma vez, ficaram um arraso de bonito!

Outro aspecto que foi mudado e só é perceptível por causa da comparação são alguns efeitos, como, por exemplo, no combate: impactos, lasers e algumas explosões ganharam um ar diferente, mas nada demais.

Em termos gerais, dá pra dizer que TALVEZ 5% de todos os efeitos que o anime nos traz foram refeitos. Destes 5, somente 1% você vai notar a diferença ou caso queira ir comparando as cenas do filme com as do anime uma por uma... ou se for Newtype.

MÚSICA

Assim como no primeiro filme, não foram feitas mudanças drásticas nas trilhas de G no Reconguista, apenas recolocações de uma música aqui e outra ali, melhorando o clima das cenas em questão. Nada muito profundo, então um grande OK para o quesito música.

CORTES NOS FILMES

Aqui as coisas sempre melhoram! E é onde consigo ver uma melhora considerável em comparação com o anime. Os cortes trabalhados do Tomino mais uma vez deixam o filme mais fluido, melhorando nossa compreensão da história, que já não é fácil. Começo destacando que, assim como o primeiro filme, o segundo teve pouco mais de uma hora e meia de tela, não adaptou cinco episódios como o anterior e sim seis! Isso mesmo, pessoal. Seis episódios com o mesmo tempo de duração que o primeiro! E o melhor de tudo? São cortes tão precisos que você não nota a diferença. A grande maioria dos cortes são de diálogos que não acrescentam muito na história (como a Raraya vendo o peixe fazendo cocô) e alguns monólogos que também não acrescentam em nada.

Fascinante...

Os diálogos que surgem no meio do combate foram revistos nos cortes, que são uma das marcas do Tomino. Você com certeza deve se lembrar de alguma batalha acirrada acontecendo e que, de repente, corta para pessoas falando alguma coisa que pouco tem a ver com o que estava acontecendo anteriormente. Isso foi corrigido, deixando as batalhas quase na íntegra. Cenas que foram realocadas para combinar com a situação mostrada também é algo que podemos perceber. Tudo isso tornou o filme mais fluido. Antes de falarmos sobre pontos negativos nos cortes, vamos comentar sobre A CENA EXTRA DO FILME. Tipo... foi só uma, até onde pude reparar.

A cena em questão é um diálogo em que o instrutor Kerbes confronta Bellri sobre a morte do instrutor Dellensen. É um diálogo curto e que, na minha opinião, não precisaria estar lá. Estando é algo bom, porque deixa o sentimento pela morte de Dellensen ser sentido por alguém, coisa que não ouve no anime. Mas, por outro lado, se não tivesse a cena... também estaria tudo bem. Porque poucos se identificam com o personagem em questão. Vamos falar sobre pontos negativos dos cortes, que, apesar de não serem muitos, devem ser levados em consideração. Tivemos algumas cenas onde a explicação da situação foi cortada do filme. Uma delas se passa quando a Megafauna vai até o continente de Izanel/Emerica do Sul: no filme eles apenas vão para lá, enquanto que, no anime, existe uma razão para tal viagem, que não aparece no filme. Outra cena que deveria ter sido refeita é a fuga de Bellri e cia da Capital Tower: tanto no anime quanto no filme fica confuso; o instrutor Kerbes simplesmente chega puxando Bellri para fora da catedral e só depois, de forma superficial, fala sobre o que acontece, mas não existe nada que explique como eles foram descobertos de forma tão rápida.

BÔNUS

Aqui temos um bônus que, para mim, foi uma surpresa! Eu me refiro à dublagem do anime. É isso mesmo que você leu. Neste segundo filme, pude notar algumas cenas que foram redubladas e que, sinceramente, não consegui ver o porquê disso, mas... como estamos falando de ter Tomino no comando de um projeto, você deve saber que ele sempre consegue o que quer, então muito provavelmente ele simplesmente decidiu redublar por que sim.

VEREDICTO

E aí, com tudo o que coloquei acima, vocês acham que vale a pena ver o segundo filme? Para mim, vale muito a pena. As partes negativas não são muitas e não nos impedem de entender o que acontece na história, com destaques para os cortes bem pensados, que, mais uma vez, conseguem fazer o filme passar de uma forma leve e sem interrupções da trama mostrada.

PONTOS POSITIVOS

• Cortes bem executados; • Substitui os episódios 6 a 11 do anime, se você quiser; • Já falei que a Raraya é best waifu? • O Olhos do G-Self… (É sério, gente. Precisava mesmo?); • Cenas redubladas (redublar a risada do hipopótamo era assim tão importante pra você Tomino!?); • Mais episódios recapitulados.

PONTOS NEGATIVOS

• Pouco tempo de filme; • Poderiam ter consertado outros erros do anime que foram para o filme; • Poucas cenas extras.

É isso aí, pessoal! Espero que essa review possa ajudar aquelas pessoas que continuam a ficar sem entender o mundo e a história de G no Reconguista. Vamos continuar no aguardo para ver a continuação dos filmes e o que mais vem dessas compilações.

E vocês?

Estão confiantes que os cortes e modificações trazidas pelo diretor Tomino podem salvar esse Gundam?

Redes Sociais